Quantified Self Rio Message Board › Evento Happathon e Quantified Self a procura da Felicidade

Evento Happathon e Quantified Self a procura da Felicidade

Erick G.
user 78667802
São Paulo, BR
Post #: 1
Olá,

Primeiramente, acabei de entrar no grupo e não tive oportunidade de acompanhar discussões ou dinâmicas anteriores, desta forma, se considerarem o assunto off-topic, por favor me avisem.

Talvez todos já conheçam, mas existe um movimento chamado Happathon, que na prática esta tentando reunir pessoas, desenvolvedores especialmente, para motiva-los a construir aplicativos que possam identificar felicidade na vida das pessoas.

Boa parte dos estudos sobre esse assunto, tangente a minha profissão mas que acompanho a 2 anos, apontam para o uso de quantified-self data como o principal fator de impacto num eventual "índice pessoal de felicidade". O objetivo do Happathon é bem amplo e eventualmente vai de encontro com a palestra do Nick Marks no TED (Happy Planet Index) onde ele afirma que o GDP (PIB) é um índice ineficiente para medir o crescimento das nações e que um novo índice HPI deveria considerar aspectos como o "bem-estar" das pessoas, emissões de carbono, etc.

Happathon é algo novo e falar dessa forma sobre felicidade parece utópico, mas eles estão promovendo esse evento gratuitamente em alguns lugares do mundo e o John Havens (fundador do projeto), já demonstrou interesse em organizar algo semelhante no Brasil. Para entender melhor, vou participar do evento no dia 20 de Março em NY, vagas aqui e conhecer melhor o formato, público e as aplicações existentes.

Por conta desse interesse e estudo, tenho dedicado algumas horas (poucas ainda), a concepção de uma aplicação que utiliza esses princípios, em especial, a teoria de que a felicidade pode ser "revelada" através de alguns agrupamentos das atividades diárias das pessoas.

Somente para deixar claro, não tenho qualquer ligação profissional com o Happathon ou qualquer um dos seus envolvidos, meu interesse é desenvolver mais este assunto, especialmente no Brasil, e na utilização do Quantified Data para medições de Felicidade. Se isso é algo relevante ao grupo, terei grande prazer em colaborar.

Obrigado a todos,
Erick Galassi

Darlinton C.
darlinton
São João del Rei, BR
Post #: 13
Olá Erick, eu não conhecia o Happathon e achei bem interessante. Seria interessante se vc puder compartilhar mais sobre a sua ideia de aplicação. Melhor ainda se vc já conseguisse direcionar como poderíamos contribuir. Coloco-me a disposição para conversar mais o seu projeto.
Fabio S.
user 34643112
Group Organizer
Rio de Janeiro, BR
Post #: 1
Muito Obrigado pelo post! Fantástico!smile

bem, com relação a pergunta sobre a pertinência do assunto eu acredito que é bem relevante. Primeiro, porque muitos amigos da comunidade são bem interessados em colecionar dados sobre os seus estados emocionais, me incluindo nesse grupo. Segundo, porque observando os "happiness hackers" por trás do Happathon, dois deles são grandes companheiros quantificados: Ernesto Ramirez, organizador mundial da comunidade Quantified Self e Konstantin Augemberg, fundador do MeasuredMe Blog.

Considerando que você está se dedicando a desenvolver apps nessa årea, acho que seria relevante dar uma olhada no livro sobre "mood tracking"
que a Alex Carmichael está escrevendo com o Robin Barooah:

Além disso, dois Toolmaker Talks que podem te interessar vêm na minha cabeça:

Michael Forrest com o Aplicativo Happiness

Jonathan Cohen com a App Expereal

Bem, espero que podemos também tornar esse tópico parte da nossa agenda no Quantified Self Rio, tanto do ponto de vista do colecionamento de dados que envolvem um indíce pessoal de felicidade, como também, os desafios que encontramos desenvolvendo Apps no contexto do quantified self.

A sua disposição para colaboração,

Fabio
Bernardo C.
user 81349312
Belo Horizonte, BR
Post #: 1
Boa tarde, pessoal.

Tentei enviar mensagem para vocês, mas não sei se deu certo.

Sou jornalista da Rede Minas, a TV pública de Minas Gerais e produzo um programa diário e ao vivo de entrevistas com temas variados.

Estamos apurando o tema "quantified self" para um possível programa.

Tem algum email ou telefone que eu possa entrar em contato com vocês? Queria pegar algumas informações sobre o grupo e também combinar uma participação por Skype no programa.

Muito obrigado!

Meus contatos são:
bernardocaram@redeminas.mg.gov.br
(31)3269-9090/9080
Fabio S.
user 34643112
Group Organizer
Rio de Janeiro, BR
Post #: 3
Boa Tarde Bernardo!

No último dia 21 respondi a sua mensagem neste mesmo email que você forneceu na sua mensagem acima.

qualquer dúvida você pode enviar uma mensagem aqui pelo meetup ou direto pelo telefone (21) 7890 8847.

te desejo uma ótima semana!

- Fabio
Erick G.
user 78667802
São Paulo, BR
Post #: 2
Darlinton,
Obrigado pela ajuda, minha aplicação se desenvolve entorno da premissa de que a felicidade existe e esta inserida no dia-a-dia de cada um, e que portanto "medir" esse cotidiano seria uma maneira de revelar fatores positivos e negativos capazes de influenciar no seu "índice de felicidade". O problema esta sendo separar o sinal dos ruídos, ou seja, quais e quantos são os agrupamentos de Quantified Self relevantes para o índice e dentro disso, quais dados teriam maior relevância?

Fabio,
Agradeço a indicação do livro, a verdade é que uma das linhas que estou trabalhando é justamente a de qualificar os dados do usuário entre "Emotion, Feeling e Mood" - até onde estudei a principal diferença esta na duração entre esses eventos, e para efeitos do meu aplicativo em especial, os dois últimos não fazem diferença. Porém, como disse para o Darlinton, não é tão simples saber como agrupar esses dados.

Obrigado ao grupo pela recepção a minha mensagem e coloco-me a disposição daqueles que tiverem qualquer colaboração que possa levar esse tópico a diante.

Abraços,
Erick
Darlinton C.
darlinton
São João del Rei, BR
Post #: 15
Olá Erick, bem eu não sou um expert em machine learning, mas pelo pouco que eu sei parece que o seu problema é o mesmo que o de feature selection (http://en.wikipedia.o...­. <Quais features, dentro de um conjunto enorme, são as mais relevantes para predizer o índice?> Aí você pode aplicar um processo de redução de dimensionalidade (http://en.wikipedia.o...­) e terá uma solução para o problema. Dependendo dos seus dados pode rodar um PCA, ou senão ir para técnicas não lineares. Já tem muita técnica pronta para aplicar no seu dataset. Eu sei mexer bem no Weka e posso te dar uma força nisso. Abs, Darlinton
Leticia G.
user 50875352
São Paulo, BR
Post #: 1
Oi Erick,

muito legal sua iniciativa. Sou aluna do MBA em economia de negócios da FGV e também do curso de Biopsicologia no Instituto Visão Futuro (IVF), onde tenho muito contato com conceitos da ciência hedônica.

A Susan Andrews, do IVF, é como uma "embaixadora" do FIB (índice de Felicidade Interna Bruta, criado no Butão pelo Karma Ura) no Brasil. No ano passado fui voluntária em um evento sobre o FIB no Rio, paralelo à Rio+20, que foi um sucesso.

No momento estou trabalhando no meu TCC da FGV que é justamente uma comparação do PIB, IDH e FIB para a economia brasileira. O bacana é que o IVF já aplicou a metodologia em algumas cidades no Brasil. Inclusive o relatorio do Happy Planet Index faz parte da minha bibliografia.

Se te interessar podemos trocar algumas ideias sobre isso. O pessoal do IVF toma muito cuidado sobre como divulgar o FIB pra ele nao perder o significado, mas tenho uma porta aberta com eles para levar propostas.

Tks, Leticia

Neste link vc encontra algumas infos sobre o FIB: http://www.felicidade...­
Erick G.
user 78667802
São Paulo, BR
Post #: 3
Darlinton,

Agradeço pelos links, você compreendeu a dimensão do problema, mas ainda não tenho um dataset suficiente para testes, por isso, penso em lançar um serviço de captura de dados sobre felicidade utilizando algumas das premissas que já determinei, como: Medição semanal e cálculo baseado de extremos: atividades que "amo" X necessidade e atividades que "odeio" X tolerância.

Dessa forma, quaisquer que sejam as variáveis, eu ainda poderia trabalhar pelos agrupamentos. Um exemplo simplificado: Indivíduo determina N atividades que ele ama/odeia e suas respectivas necessidades/tolerâncias em função do tempo, se esse sistema for capaz de agrupar essas atividades, então os cálculos de extremo relevariam não somente aquilo que esta influenciando a felicidade desse indivíduo, mas também podem sugerir ações para melhoria do índice pessoal.

Leticia,

Extremamente interessante o trabalho da Dra Susan e parabéns pela iniciativa por tratar disso em seu TCC (me surpreendi em ler sobre a cidade de Angatuba). Eu tenho pesquisado diferentes índices, aqui tem uma relação deles que provavelmente você já deve conhecer: http://en.wikipedia.org/wiki/Happiness_economics#Indices­, o dilema que estou é que esses índices trabalham ou numa esfera muito ampla, levando em consideração aspectos como sustentabilidade, ou em algo completamente subjetivo como "perguntando diretamente se pessoas são felizes".

O que estou tentando fazer (como descrevi brevemente acima) é identificar um índice que possa auxiliar em medições individuais e baseado nisso, desenvolver um sistema onde todas as pessoas possam utiliza-lo como ferramenta de suporte para suas vidas (por isso o Quantified Self).

Eu não conhecia o FIB, mas o estudarei graças a sua indicação e também adoraria ler seu TCC se vier a torna-lo público em algum momento. Obrigado pela disponibilidade, sem dúvida me interesso em discutir e entender cada melhor o assunto.

No geral,

Acredito que este tópico seja amplo o bastante para contar com a colaboração de diversas áreas. Atualmente dedico uma pequena parcela do meu tempo para sozinho avançar em desenvolvimento, pesquisa e estratégias para esse projeto, mas quem estiver interessado em participar e/ou trabalhar em conjunto, fique a vontade para me procurar: gtalk ou e-mail: ergalassi@gmail.com

Abraços,
Erick
Powered by mvnForum

People in this
Meetup are also in:

Sign up

Meetup members, Log in

By clicking "Sign up" or "Sign up using Facebook", you confirm that you accept our Terms of Service & Privacy Policy