Cerveja com Dados Recife #03

Cerveja com Dados
Cerveja com Dados
Grupo público
Imagem do local do evento

Detalhes

A terceira edição do Cerveja com Dados Recife terá um tema especial e bastante relevante: o uso de dados no combate à violência contra a mulher*. Na quinta-feira, 12 de março, às 19h, o bar A Caverna receberá pessoas interessadas em aprender e debater sobre análises de dados e suas aplicações para ajudar as mulheres recifenses. Participe!

*O evento faz parte do Challenge Data Recife, uma maratona de resolução de desafios no formato de hackathon que tem como objetivo repensar as políticas públicas para mulheres com dados abertos. O Challenge Data acontecerá entre 19 e 21 de março e é fruto de uma parceria entre a Prefeitura do Recife e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e distribuirá até R$3 mil em prêmios. Mais informações e inscrições (em grupo ou individuais) pelo link: www.frama.link/challengedata_inscricoes

Confira as apresentações previstas:

1) #UmaPorUma - Ciara Carvalho*
O projeto #UmaPorUma contabilizou todos os assassinatos de mulheres ocorridos em Pernambuco no ano de 2018 e acompanha a fase processual de todos os casos até a etapa final do julgamento. Foi vencedor de prêmios nacionais. O projeto também foi indicado ao Prêmio Gabo de 2019 na categoria Cobertura.

* Ciara Carvalho é editora-executiva do Jornal do Commercio, onde atua como jornalista profissional há 23 anos. Formada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com pós-graduação em História Contemporânea também pela UFPE. Já recebeu diversos prêmios durante a sua carreia e atualmente é uma das coordenadoras do projeto #UmaporUma.

2) População carcerária feminina em Pernambuco - Liberta Elas*
O Brasil possui a quarta população carcerária feminina do mundo que continua a crescer de forma exponencial. Nessa apresentação será falado sobre as causas deste crescimento, suas consequências, as violências estruturais no processo de criminalização das mulheres e como a invisibilidade de dados e dessa realidade contribui para perpetuação da violência contra essas mulheres.

* O grupo Liberta Elas surge no primeiro semestre de 2018, na cidade de Recife, e é hoje, um coletivo de mulheres feminista interseccional, antirracista, anti-punitivista e abolicionista penal. O foco do grupo é estabelecer trocas de afetos, proporcionar momentos de acolhimento e diálogo entre mulheres, além da defesa dos direitos daquelas que se encontram sob custódia do Estado.

3) Mete a Colher - Renata Albertim*
Atualmente algumas mulheres têm recorrido bastante às plataformas digitais, pra buscar apoio e ajuda para sair de uma situação de violência. Através desses meios, é possível fazer uma coleta dos dados possibilitando compreender a violência contra as mulheres e quais caminhos elas estão buscando para romper um ciclo abusivo. Esses dados podem confrontar e também contribuir com os dados públicos tantos do Ligue 180, quanto os dados de delegacias das mulheres e centros de referência.

* Renata é CEO e cofundadora do Mete a Colher, startup que tem a tecnologia como aliada para combater a violência contra as mulheres. Mestra em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social pela UFRPE, Jornalista graduada pelas Faculdades Integradas Barros Melo. Seus principais interesses estão relacionados ao combate a violência doméstica, através do Impacto Social.

4) HEAR (Helping Everyone to Actively React) - Ana Paula*
O projeto visa auxiliar as pessoas a denunciarem atos de violência, através do aparelho celular, fazendo uso de inteligência artificial, o qual indicará que está ocorrendo a ação de violência, e enviará as informações captadas para consulta por parte de órgãos de segurança. Nesse cenário, o uso e privacidade dos dados é uma questão primordial, tanto para adequação às leis atuais quanto para garantia de anonimato das usuárias do aplicativo.

*Professora no Departamento de Computação UFRPE e professora convidada no programa de pós-graduação (mestrado e doutorado profissional) da CESAR School. Também é coordenadora do projeto HEAR.